30 de nov de 2009

Unbreath

Eu tinha pensado em uma metáfora elaborada sobre como temos que reiniciar nossas vidas algumas vezes. Reiniciar mesmo, igual a um computador lento. Tinha pensado em como isso libera nossa mente, que seria a memória; como ajuda a organizar as informações de uma maneira melhor; como esfria o nosso "processador".

Elaborada, né? Nem tanto. Mas depois que já tinha pensado tudo isso, eis que me bateu a conclusão: ela é inaplicável.

Reiniciar é iniciar de novo. O mesmo processo. Igualzinho. E não é isso o que eu preciso. Preciso de uma mudança de direção. Preciso de um software novo. Ou, um sistema operacional novo.

Sem mais metáforas, preciso de um objetivo novo. Cansei do atual.

Mas! Sempre tem um "mas".

Estou preso nas circunstâncias. De novo. Meu altruísmo não deixa que eu sacuda a poeira e dê a volta por cima. Ainda não dá pra fazer isso. Se eu chutar o pau da barraca, ela inteira cairá sobre as cabeças de muita gente além da minha. Não posso.

Eu até já me decidi várias vezes. Mas sempre paro estes meus planos logo antes da fase de execução. Cheguei a tomar atitudes que levavam aos finalmentes dos planos, mas nunca cheguei lá de verdade.

...é, é só um desabafo mesmo. A conclusão é que preciso de novos objetivos, mas não posso persegui-los agora. Então, terá que ser como é. Por enquanto.

Em tempo: se você se preocupou comigo, fique tranquilo. Está tudo bem no que se refere somente a mim.

Hm. Às vezes sou enigmático demais, até pra mim. Ou óbvio demais.

Hm...