28 de out de 2005

Mensagem da Terra do Gelo

Fui ler um gibi ontem pra distrair, quando vi o nome dela como adjetivo de uma entrevista com um vampiro (?). Eu ri sozinho de mim mesmo.

Aí hoje eu recebi uma mensagem, oriunda do país menos corrupto do mundo.

I wake up
And the day feels
Broken
I tilt my head
I'm trying to get an angle
'Cause the evening
I've always longed for
It could still happen

How do I master
The perfect day
Six glasses of water
Seven phonecalls

If you leave it alone
It might just happen
Anyway

It's not up to you
Oh it never really was

If you wake up
And the day feels
Ah broken
Just lean into the crack
(Just lean into the crack)
And it will tremble
Ever so nicely
Notice
How it sparkles
Down there

I can decide
What I give
But it's not up to me
What I get given
Unthinkable surprises
About to happen
But what they are

It's not up to you
Well it never really was
- It's Not Up To You


Thank you, milady. Algum dia eu vou com certeza visitar o seu país.

25 de out de 2005

Latitude e Longitude

Estive ouvindo Fennesz hoje. Alguns álbuns dele, como o Field Recordings 1995:2002 e o plus forty seven degrees 56' 37'' minus sixteen degrees 51' 08'' (que são as coordenadas do quintal da casa dele, na Áustria), a outros ouvidos pode não parecer música. Eu concordaria, caso o "conceito" de música realmente fosse organizar sons pré-determinados de acordo com regras pré-determinadas.

O que acontece nesses casos é que o cara (no caso, o Fennesz) simplesmente retirou da frase acima os "pré-determinados". Em alguns casos, ele vai mais além, e tira o "de acordo com regras", de modo que música é, pra ele, organizar sons.

Eu confesso que a primeira vez que ouvi, achei esquisito, pois não é o tipo de música que estamos acostumados, com uma marcação bem definida e sons de instrumentos musicais convencionais. Há música que parecem sons de naves espaciais com efeitos de guitarras distorcidas, outras lembram um computador falhando e soltando faíscas, mas que fazem um efeito de água corrente, enfim, uma série de sons que parecem aleatórios, mas não o são. E há uma certa beleza nisso...

Álvaro de Campos (meu mestre!) dizia:

O Binômio de Newton é tão belo como a Vênus de Milo.
O que há é pouca gente para dar por isso.

óóóó -- óóóóóóóóó -- óóóóóóóóóóóóóóó
(O vento lá fora.)


Mesmo nas coisas mais estranhas ou complexas ou diferentes, há a mesma beleza que vemos nas coisas consagradas, como uma estátua famosa, e nas coisas simples, como o vento. Se olharmos por esse lado, o que é uma confusão de sons pode parecer na verdade... música.

E finalmente, a conclusão que eu queria: não é só na música a que isso se aplica. Há beleza em quase tudo. Basta que demos por isso.

Enquete de comentários: defina música.

21 de out de 2005

300 meses hoje...

... mas aqui, com -4 horas de vida.

20 de outubro de 1980, 20:40.

18 de out de 2005

Um, dois, três. Quatro?

Às vésperas de meu aniversário, penso como é engraçado, porém bom, sentir que se está envelhecendo. Sentir que pegamos mais experiência, mais tato, mais cuidado conosco. Estou quase completando 300 meses de vida, e não posso dizer que sou experiente. Mas quero falar aqui especialmente dos amores que tive, e dos que tenho...

Meu primeiro amor era ingênuo. Eu acreditava que ela gostava de mim simplesmente porque me achava bonitinho. Era um amor pré-adolescente, que ficou platônico durante dois anos, até que resolvi mandar minha primeira -- e única! -- carta de amor. Ela ficou uma semana sem falar comigo depois disso. Achou que eu não sentia nada por ela, mas ela me provocara por dois anos, não aguentei. Eu dizia que estava me sentindo ridículo, mas citei Álvaro de Campos. Nunca chegou a se consumar nada.

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
- Álvaro de Campos


Meu segundo amor foi o primeiro que se consumou -- ela também gostou de mim! Sem experiência, entrei de cabeça. Lembro-me que cheguei a chorar no primeiro beijo... Porque a gente estava se segurando já há algum tempo, e como sempre, fui o último a perceber. Tive porém o cuidado de tirar o medo dela de se envolver aos poucos, mas ao final ele se engrandeceu e me venceu. Foi um grande amor que perdi, e que me doeu.

Depois, a vida me aprontou uma. Me colocou um amor pra ver quase todo dia. Ela já estava com problemas nesse campo, e fui chegando devagarinho. Ela chegou a cogitar um relacionamento comigo... Mas hesitou, e eu fiquei esperando. A esta altura, eu já estava envolvido demais, mesmo tendo cuidado. E me orgulho de ter conseguido, com uma destreza desconhecida por mim mesmo, me desvencilhar do sentimento. Tenho muito apreço e carinho por ela hoje. Tenho ciúmes também, mas é normal em qualquer amizade.

E hoje... Não digo que tenho um novo amor, mas existe a possibilidade... E, com a experiência que a vida me proporcionou, não entrei de cabeça como das outras vezes, apesar de ser um eterno galanteador -- isso eu sempre serei. Estou com os pés no chão, mas confiante. E, como ela mesmo diria, e agora? Estou pronto para descobrir...

Um beijo pra você.

13 de out de 2005

Espelhos

Os teus olhos têm
Um brilho repentino,
Refletindo na lua
Minh'alma na tua.

Os teus olhos têm
Um sorriso próprio:
Beleza que acanha
Pôr-do-sol de montanha.

Os teus olhos têm
Um brilho inexplicado:
Sem motivo aparente
Me remete ao presente.

Os teus olhos têm
Um quê de qualquer coisa,
De nada, de tudo;
Me mudam pr'um mudo.

Lindos cabelos, vêm!
Lindo sorriso, vem!
À beleza de espelhos, que só
Os teus olhos têm.


9 de out de 2005

Colombo vs. Alfie

Estive conversando com um amigo meu a respeito daquele tempo pré-primeiro beijo. Quando o casal está se conhecendo e tal, ou quando rola interesse de uma das partes na outra... Talvez nem chegue a se consolidar nada, mas aquele tempo, vocês sabem. Ele me solta a seguinte frase:

"As mulheres seduzem, os homens conquistam."


De início, concordei em absoluto. Mas, como de costume, enrolei e desenrolei a idéia na minha cabeça, e adivinhem: questionei. Porque o homem não pode seduzir? Ou a mulher conquistar? Há alguma diferença, afinal?

Então pensei que isso na verdade deveria ser algo individual, único para cada pessoa, e não uma coisa relacionada ao seu sexo. Mas, ao mesmo tempo, não soube me classificar como um dos dois tipos. Então desenrolei mais: isso deve ser de cada situação.

Acredito que, na maioria das vezes, conquista e sedução têm que andar juntas. Já fui conquistado e seduzido pela mesma mulher. Já conquistei e seduzi a mesma mulher. E também outra situações e combinações...

Mas confesso que não sei se, neste exato momento, devo agir como conquistador ou sedutor. Ou nenhum dos dois. Ou ambos...

Deixo a pergunta: você se considera conquistador ou sedutor?

Eu? Mistura heterogênea em convecção constante. Eu acho.

3 de out de 2005

Sorry

Já teve aquele(a) amigo(a) pela qual você pensou ter se apaixonado, ou realmente se apaixonou? Senão, conhece algum amigo(a) que já passou pela situação certo?

Confesso que sim, eu passei, senão não teria... ahn... "tato" para ter escrito isto. Eis uma música que homenageia isto. Só tem a letra, não fiz as linhas nem os instrumentos. Talvez um dia...

I followed the light of my heart
I believed nothing could tell us apart
Only to find a grey world

I thought we could be strong
But you said that I was wrong
Then I was wrapped in cold

A candy you have found
And you love to eat around
But sometimes I want more

My heart just yells dry tears
I'll be your angel through the years
But not as I was before

(bridge)
And I know we'll be friends forever
But I know we'll not be together

(chorus)
So I am sorry
'cause I feel like a fool
And I feel sorry
Sorry for loving you

And now I'm sorry
'cause I feel like a fool
All I can say is sorry
Sorry for loving you
So much

We live a great love play
And you heart just lead the day
But now I cannot go

I feel like I am that chair
Just lifeless, this's so unfair
'Cause once I was lead role

(bridge)
(chorus)

You say about the future
And I replied I want you now
Then you look away from me
And you say sorry, and then I fall

(chorus)
(a solo)

So I am sorry
'cause I feel like a fool
And I feel sorry
Sorry for loving you
So much

I know we'll not be together
And I know we'll not be...



PS: Decidi que é hora de ser um pouco menos cauteloso. Mas nunca, jamais, deixar de ser enigmático...