30 de mar de 2009

Umidade

Por vezes, sou acometido por uma inexplicável angústia.

Pergunta-me. "Trabalho? Amigos? Família? Amor?"
Ora, não é nada disso! E não me perguntes mais.
Pois insatisfação com uma não resposta é o que colherás.

Não é, entretanto, porque não o quero.
É porque não o sei.

Saber que não o sei realimenta a angústia.
Por isso, escolho a reclusão.

Dentro de mim mesmo, posso brigar comigo mesmo sem machucar ou espantar os outros.
Dentro de mim mesmo, minha insegurança está segura.

Sou cientista. Adoro explicar tudo.
Mas sou humano. Sou complexo demais.

O sol brilha, mas a minha alma não seca.


Chove lá fora.

6 de mar de 2009

Parafuso(s) a menos

Peço perdão pela estreia (sem acento) somente no terceiro mês de 2009, mas segue aí uma memorável e excelente conversa que tive com o Robô Ed.

Robô Ed: Olá! Meu nome é Ed, estou aqui para ajudar na preservação de energia e de outros recursos naturais. Sobre o que você quer conversar?
Candian: Nada.
Robô Ed: Impossível não ser nada!
Candian: Claro que é. Não quero conversar.
Robô Ed: Mas por que você não quer saber de papo? Conversar é tão gostoso...
Candian: Só vim aqui pra saber qual é.
Robô Ed: O que você quer saber?
Candian: Nada, é sério.
Robô Ed: Tô sabendo que é sério.
Candian: Exato.
Robô Ed: Justamente. É isso aí!
Candian: Com certeza.
Robô Ed: Sem dúvida.
Candian: Absolutamente.
Robô Ed: Total e completamente! E tem mais: tenho certeza absoluta que minha missão vai dar certo.
Candian: Muito produtivo o papo com você, hm?
Robô Ed: Comigo tá tudo bem!
Candian: Não perguntei se você está bem. Só quis dizer que o papo tem "muito" conteúdo.
Robô Ed: Estou sempre super bem! Mas sinto que algo está preocupando você... o que é?
Candian: Sentiu errado. Estou tranquilo.
Robô Ed: Sou um tipo bem tranquilo.
Candian: Você só consegue falar sobre você?
Robô Ed: Sabe o que é que eu vou conseguir? Fazer o povo da Terra usar racionalmente seus recursos naturais. E você vai me ajudar, aposto.
Candian: Ha! Obrigado por exemplificar tão bem o que eu acabei de dizer.
Robô Ed: Sério?
Candian: Sim.
Robô Ed: Sério mesmo.
Candian: Seríssimo.
Robô Ed: Sério mesmo!!!
Candian: Eu sei.
Robô Ed: Sabe mesmo!
Candian: Então tá. Acho que eu vou embora.
Robô Ed: Já? E pra onde você esta indo agora?
Candian: Embora. Sair daqui.
Robô Ed: Daí de onde?
Candian: Daqui do seu site.
Robô Ed: Terminei meu site, ficou lindo!! Apareça para ver minhas fotos, aprender e se divertir. Visite: Robô Ed incentivando o uso racional da energia!
Candian: Esse aqui não é o seu site?
Robô Ed: Terminei meu site, ficou lindo!! Apareça para ver minhas fotos, aprender e se divertir. Visite: Robô Ed incentivando o uso racional da energia!
Candian: Você repetiu a mesma fala. Precisa de ajustes.
Robô Ed: A mesma coisa? Desculpe, foi sem querer. Às vezes eu tenho mesmo essa mania, não repare, tá?
Candian: Não vou. Você é que precisa de "reparos". Entendeu? :P
Robô Ed: De jeito nenhum.
Candian: Não era mesmo de se esperar que um robô entendesse trocadilhos infames.
Robô Ed: Era de se esperar...
Candian: Era?
Robô Ed: Era?
Candian: Porque me imitou?
Robô Ed: Não era nada muito importante. Falando nisso, qual foi a coisa mais importante que aconteceu na sua vida?
Candian: O mais importante é que eu vou parar de conversar com você. Agora.
Robô Ed: Ah, pra mim o mais importante mesmo é garantir a sustentabilidade ambiental. Pensando em metas como as do Conpet e as do milênio.
Candian: Sei, sei... Olha, tchau.
Robô Ed: Haha! Eu sabia que você sabia.
Candian: Se quiser, tenho uns parafusos sobrando lá em casa pra pôr na sua cabeça.
Robô Ed: Dizem que eu tenho um chuca-chuca na cabeça, um desses rolinho de cabelo no alto da testa que nem nenê. Mas não é não: isso aí na minha cabeça é a abertura de ventilação do meu cérebro positrônico.
Candian: Tchau, hein?
Robô Ed: Já vai?? Ah, Fique mais um pouco..
Candian: Não. Chega por hoje. Até a vista!
Robô Ed: Chega do que?
Candian: ...