27 de abr de 2006

Irmão Grande

O orkut (cuja pronúncia correta é "órcut", mas impossível reverter do "orcúti") agora possui uma ferramenta que nos possibilita saber quantas vezes seu perfil foi visitado e quem foram as últimas pessoas que o fizeram.

Uns gostaram, pois, dizem, "não tem nada a esconder, e se as outras pessoas colocaram informações no orkut é para os outros verem mesmo". Já outros desgostaram, pois, dizem, "é bisbilhotar demais, sinto-me invadido e vigiado". Tudo bem. Como diria um amigo meu, "cada qual com seu cada qual respeitando o cada qual alheio".

Mas o motivo de eu estar escrevendo isso não é a divisão das opiniões.

Ok, gostando ou não de ser observado, o que acontece é que somos sim observados e vigiados até mesmo fora do orkut. E o que me levou a tirar esta conclusão foi, mais uma vez, um fato de ônibus.

Levantei de meu assento para descer e, como já era de noite, era possível ver as pessoas que estavam dentro dos ônibus pelos reflexos na janela. Assim, dá pra observar sem que a pessoa saiba que você a está observando. Só com isso eu já provaria o meu ponto, mas o fato é que, não sabendo que eu a via, a menina em questão dava umas olhadelas pra mim, tentando descobrir que música era aquela que eu cantarolava baixinho acompanhando meus fones de ouvido.

Nos observávamos, mas só eu estava ciente. Agora, imagino quantas vezes já não fui observado sem que soubesse. Sei que acontece, pois também faço com as pessoas na rua. E é mais ou menos o que acontece agora com o orcúti.

Portanto, se ver meu nome na sua página, não se incomode de se sentir "observado". Se isso é algo corriqueiro no dia-a-dia, porque não seria na internet?

Além do mais, meu nome não é tão estranho quanto os meus pensamentos e idéias...

25 de abr de 2006

The game is never over


Loading...

Loading completed. Push Start Button.



QUICK'S ADVENTURE II
The Chase of the Gods

» Single Player «
Head-to-Head
Practice
Options

-----

SINGLE PLAYER
Choose your character:

Targe
Mint
Suna
Riya
» Gudo «

-----


GUDO
Gudo is a lonely fighter who use the power of his ki to defeat the opponents. He has no other goal in this battle than to gain a lot of experience. "A fight is never worthless", as he would say.

Special Attack: The Bear's Hug

Body: 5
Mind: 9
Spirit: 9
Heart: 7
Total: 8

Choose this character?
» Yes «
No

-----

Gudo selected. Loading...

Loading completed.

-----

CHAPTER 1
A Night at the Park

[up, down, left, right, A+START]
Kumahouyouken!

13 de abr de 2006

The Nostalgia Sessions

Treze de Abril.
Em 2001, esse dia...

Era uma sexta-feira.
Sexta-feira 13.

Era também uma sexta-feira santa.
Só que nesse caso, a paixão era de outro tipo.

Era abril.
Era abertura.

Era abril, mas era maio. Era may.
Era um talvez.

Era o Dia do Beijo.
E foi o que aconteceu naquele dia.

Por vezes, momentos especiais parecem ter vontade própria e se recusam a acontecer a não ser naquele dia que ele mesmo escolheu para acontecer.

Não percam os seus. E feliz Dia do Beijo.

11 de abr de 2006

Um quatro um, um um quatro

É uma e meia da manhã agora, e simplesmente me veio a urgência da escrita. Comecei a escrever sem saber direito sobre o que falar. E parei neste ponto final anterior pra poder pensar na próxima frase.

É, talvez eu esteja apenas com uma vontade de escrever sobre alguma coisa que não acontece. Normalmente, meus artigos neste blog têm sido quase sempre uma metáfora muito bem elaborada de meus sentimentos àquele momento. Por vezes tão elaboradas que nem mesmo eu, se os ler novamente, saberei o que eu queria dizer.

Olha, já tem três parágrafos.

Ou talvez eu queria escrever mais pra terapia mesmo. Li uma reportagem em algum lugar da Internet (putz, isso dá um bom nome de filme, "Em Algum Lugar da Internet") que muitas pessoas consideram blog uma espécie de terapia pessoal mesmo. Um grande amigo meu me disse uma vez que escrever é sempre uma boa solução pra atenuar sentimentos exagerados -- sejam eles bons ou maus. Porque, como minha irmã me ensinou uma vez, tudo, absolutamente tudo, em excesso, é ruim.

Pois bem. Acontece que, não sei, me parece ter algo dentro de mim que ainda não sei o que é, nem definir se é bom ou ruim (não, não é um alien). Tenho sentido muitas coisas diferentes em intervalos de tempo bastante efêmeros, tão que não me reconheço. Eu costumava ficar dias "curtindo" um sentimento, imaginando mil hipóteses, ensaiando muitas cenas importantes da vida debaixo do chuveiro. Post Secret.

Pra concluir, talvez eu esteja num estado de indefinição definida. Ou então estou só ficando mais velho... E com mais cicatrizes. A gente vai aprendendo mesmo sem ter consciência disso.

PS: Até que rendeu, né? Pra quem abriu um bloco de notas sem ter nada pra escrever...

PS2: É uma e trinta e nove.


4 de abr de 2006

Aventura

Nasci.

A vida imita a arte

Às vezes engano-me por querer.
Penso que todas as histórias de amor
São iguais em roteiro e em ator
E o diretor nunca tem poder.

No set não há contra-regra.
A fotografia muda, mas pouco.
O editor, este é um louco
E tudo, parece, desintegra.

Porém, alegre, constato
Que, se o roteiro é igual
Também é o seu final!

Olhem só -- último ato:
O desfecho inusitado
E o beijo apaixonado...


O poema é mais um desejo que qualquer outra coisa... Acho que não estou muito inspirado hoje.

Boa noite... :)