6 de fev de 2006

Percepção

Cheguei ao local um pouco atrasado, mas antes do auge da festa. Entrei e fiquei procurando alguém que eu conhecia, pra poder me localizar lá dentro. Até que achei a mesa dela e fui até lá cumprimentar o pessoal da família, pais, amigos que estavam lá.

Eis que ela apareceu, cheia de sorrisos e felicidade. Lá ela estava, clara e brilhante, exuberante, maravilhosa. Ela já era linda, e com a felicidade exalando, como um perfume afrodisíaco, ficou ainda mais bela.

Quando me viu, sorriu ainda mais. Julgava impossível achá-la mais bela, mas o novo sorriso me fez enganado. Os olhos brilhantes, de sorriso próprio, vieram na linha mais reta que já vi, na minha direção, me atacando como raios. Ela veio saltitando, feliz da vida que eu estava lá. Eu jamais faltaria, é claro. Porém, a minha presença, de alguma forma, mesmo sendo totalmente confirmada e esperada, foi bastante comemorada por ela.

Ela me abraçou gostosamente. Não há palavra melhor pra esse abraço: gostosamente. Não foi deliciosamente, não foi confortavelmente, não: gostosamente. Foi rápido, mas eterno. Escutei um ou dois "eu te amo" ao pé do ouvido (coisa boa, experimentem). Impossível não sorrir também.

Depois, quando ela começou a afastar a cabeça para "terminar" o abraço, qual não foi a minha supresa ao ver que ela não se desvencilhou. Apenas mirou os olhos dela nos meus por um breve momento, suficiente para meu coração saltar uma batida. O sorriso infinito ainda aberto.

E aí ela me deu um selinho, do mais puro amor.

Adorei estar lá. Conheci pessoas novas e interessantes, re-conheci pessoas velhas mas ainda interessantes, reconstruí os blocos da amizade e coloquei mais alicerces para as novas. Percebi que estou conseguindo sair da minha bolha pessoal, e entrar na de outras pessoas, não porque eu quero, mas sim porque elas querem.

Também gostei de perceber, mesmo que inconscientemente, que as pessoas são cheias de carinho pra dar, assim como eu. E que elas realmente se importam. E que eu realmente sou importante demais na vida das pessoas. Que eu realmente faço alguma diferença, amenizo alguma tristeza, multiplico alguma alegria, ilumino algum caminho, dissipo alguma dúvida.

Pequenos momentos na vida, que nos fazem ter esperança dentro de um mundo cheio de mazelas.

Um único momento em toda a noite para transformá-la para sempre.

5 comentários:

Gude disse...

Na verdade, este foi o último de uma série de acontecimentos que culminaram com essa percepção. Tentem. :D

Daemon disse...

Hmm...

Ana disse...

Lindo!

Algumas pessoas são cheias de carinho pra dar e se importam mesmo. É só a gente saber olhar dentro dos olhos, pra poder baixar a guarda e entregar o coração. Tem que ter cuidado, mas quando se acerta, vale muito a pena ;)!

ô...

E continue assim, mocinho!

Rainha De Copas disse...

"Percebi que estou conseguindo sair da minha bolha pessoal, e entrar na de outras pessoas, não porque eu quero, mas sim porque elas querem."

Sempre adoro quando isso acontece

Anônimo disse...

beautiful indeed!

Espero que continue na sua caminhada de descobertas e certezas :)

Viver vale a pena ne?
beijao
Carol Dantas