14 de jun de 2007

Não faz assim, talharim...

Tivemos macarrão hoje aqui em casa para o almoço. Grande coisa certo?

Eu como um bom descendente de italiano, ecco, adoro macarrão. Principalmente aqueles que tem uns molhos à bolonhesa incrementados, com cebola, pimentão, pedacinhos de tomate e um pouquinho de alho; ou então aqueles de molho branco cremoso que tem uma pitadinha de sal que dá água na boca; e ainda macarrão ao alho e óleo, carinhosamente chamado pelos mineiros de "áiói", e que vi uma vez discriminado num cardápio como "allioli". Chique.

MAS! Aquele macarrão não era espaguete, não. Nem parafuso, nem tubinhos, nem letrinhas, e nem penne, o meu favorito. Aquela massa era talharim.

E hoje eu descobri que odeio talharim.

Não pelo gosto, pois é a mesma coisa. O fato é que eu não consegui, de jeito nenhum, pegar uma quantidade minimamente razoável de talharim com o garfo. Não conseguia espetar, como facilmente se faz com penne ou parafuso, nem conseguia enrolar no garfo, como se faz com espaguete, nada. Eu simplesmente enfiava o garfo e puxava pra cima, o que ficasse ali e não escorregasse de volta para o prato era lucro.

E como eu gosto de muito molho, em grandes quantidades mesmo, as fitas ficavam mais e mais escorregadias à medida que eu ia conseguindo, com muito custo, comê-las. Pois a proporção molho/massa ia aumentando vertiginosamente.

De quem foi a idéia de fazer massa de macarrão em tiras, afinal?

5 comentários:

Mila disse...

Eu gosto.
Agora eu sei como ser sua vigilante do peso.
:P
:*

CAITIF disse...

Gude, da próxima vez, pede junto o manual. :P

Ana disse...

Eu tenho a teoria que alguém pegou a lasanha, recheou, enrolou, e ela virou canelone. Depois o cortaram em rodelas e ele virou rondele.

De repente, outro alguém pegou a lasanha, partiu em tiras e ela virou papardelle. Pegaram o papardelle, partiram mais fino e ele virou o fettuccine.

Aí engordaram o fettuccine e ele virou o talharim :)!

Pedro disse...

Que fome.
Comida inglesa todo dia está foda!

Ana Carolina disse...

Ah, eu adoro talharim.
Mas agora, qdo eu comer novamente, vou ficar pensando nessa sua análise.
rsss