11 de abr de 2006

Um quatro um, um um quatro

É uma e meia da manhã agora, e simplesmente me veio a urgência da escrita. Comecei a escrever sem saber direito sobre o que falar. E parei neste ponto final anterior pra poder pensar na próxima frase.

É, talvez eu esteja apenas com uma vontade de escrever sobre alguma coisa que não acontece. Normalmente, meus artigos neste blog têm sido quase sempre uma metáfora muito bem elaborada de meus sentimentos àquele momento. Por vezes tão elaboradas que nem mesmo eu, se os ler novamente, saberei o que eu queria dizer.

Olha, já tem três parágrafos.

Ou talvez eu queria escrever mais pra terapia mesmo. Li uma reportagem em algum lugar da Internet (putz, isso dá um bom nome de filme, "Em Algum Lugar da Internet") que muitas pessoas consideram blog uma espécie de terapia pessoal mesmo. Um grande amigo meu me disse uma vez que escrever é sempre uma boa solução pra atenuar sentimentos exagerados -- sejam eles bons ou maus. Porque, como minha irmã me ensinou uma vez, tudo, absolutamente tudo, em excesso, é ruim.

Pois bem. Acontece que, não sei, me parece ter algo dentro de mim que ainda não sei o que é, nem definir se é bom ou ruim (não, não é um alien). Tenho sentido muitas coisas diferentes em intervalos de tempo bastante efêmeros, tão que não me reconheço. Eu costumava ficar dias "curtindo" um sentimento, imaginando mil hipóteses, ensaiando muitas cenas importantes da vida debaixo do chuveiro. Post Secret.

Pra concluir, talvez eu esteja num estado de indefinição definida. Ou então estou só ficando mais velho... E com mais cicatrizes. A gente vai aprendendo mesmo sem ter consciência disso.

PS: Até que rendeu, né? Pra quem abriu um bloco de notas sem ter nada pra escrever...

PS2: É uma e trinta e nove.


3 comentários:

Mila disse...

Entendo...
Na verdade tenho me sentido um pouco assim também. No meu caso, acho que as coisas têm sido mais efêmeras porque eu tenho me dividido em milhares de funções, aí não sobra tempo pra ficar alimentando pensamentos e sentimentos.
Mas tenta parar, concentrar e pensar bastante... comigo isso funciona e eu consigo recuperar alguma coisa (só não sei até que ponto isso é bom).
:)
Beijo!

Ana disse...

Escrever é bom, fica tudo um pouco mais leve.

Cicatrizes? Bem, ou se acostuma com elas ou se muda pra uma bolha.

Acho que as bolhas não devem ser lá muito confortáveis...

Carol Vil disse...

Eu tb tenho essas sensações.