8 de ago de 2006

A long time... after

Ah! É bom estar de volta. Como dira um sujeito aí, tive um exílio bloguístico, nesse caso não auto-imposto. Excesso de trabalho. Excesso mesmo. Tipo, 16 horas por dia. Bem. The dark times are over.

Eu tive vários assuntos em mente pra escrever durante estes dark times. Incrivelmente, eu ainda tinha tempo pra pensar neles. Só não tinha tempo de escrever. Portanto, vou deixar pra escrever sobre eles num futuro próximo.

Hoje, vou falar em algo que pensei ontem, numa estranha noite de segunda-feira que parecia mais um domingo à tarde. Falarei sobre a estranha e incrível capacidade que temos de conversar com nós mesmos.

Não lhes soa estranho o fato de falar sozinho? Porque temos que verbalizar as coisas pra que fiquem mais claras na nossa cabeça? O pensamento não tem gramática, conseguimos completar um sem necessariamente termos que formular orações completas em nossos cérebros.

Será?

Ontem, ao voltar da casa de uma amiga que vai para o Canadá na semana que vem, vim pensando muito, meus pensamentos sempre eram orações completas.

Isso, por si só, já seria estranho e incrível, mas o mais ainda é que apesar de saber as respostas que eu mesmo vou dar pra mim mesmo, eu continuo conversando normalmente, como se aquele monodiálogo fosse me passar algo novo.

Mais incrível ainda é constatar que, de fato, eu passo algo novo pra mim mesmo. É como construir novas casas a partir dos mesmos tijolos, bastando dispo-los de uma maneira diferente. E, assim, conseguimos estar em um ambiente mais agradável para fabricar outros tipos de tijolos.

Também é impressionante saber que nunca se enjoa de conversar consigo mesmo. Já enjoaram de conversar sozinhos? Pode ser que sim, mas, particularmente comigo, isso jamais aconteceu. Vim cercado pelo meu hipocampo, vagando sem destino em um espaço limitado e infinito, não me senti preso ou só. Vim bem acompanhado.

Feliz pensar e conversar pra todos.


Agradecimentos a daemon, priska, rocks, ana, babs, muza, volanin, zé, ^ana^, transeunte, lex, rita, heide, lila, juliana, rauber, gusmao, carol dantas, rae, rainha de copas, alexandra, misha, yasmim, carol vil e helen (as irmãs biso), sely chan, mi, caitif, mateus e a todos os outros leitores anônimos que juntaram mais de 5 mil trapos coloridos durante este primeiro ano de vida deste espaço, completado no último dia 15. Em especialíssimo à minha querida girlfriend bêibi mila. Luvya!

9 comentários:

CAITIF disse...

Você consegue conversar com bêbado, estando bêbado, e ainda tirar algo de útil disso???
Cara... sou seu fã. :P

Mila disse...

De nada!
:D
Eu que tenho que agRadeceR seu bRog. Ainda tô devendo um beijo na boca dele.
;)
:*

Carol Vil disse...

Eu converso sozinha e acho normal. O pensamento é sempre uma conversa.

E quanto à questão de ter ou não gramática, isso dá pano pra manga...

Amei o post!
Biso Maior

Ana disse...

Disponha!

"...eu passo algo novo pra mim mesmo...."

Muuuuito! Eu tb consigo discutir comigo, discordar e mudar de opinião, e até avançar em novos campos de pensamentos.

Coisilôco mesmo...

caitif disse...

Vocês são todos uns bêbados imundos... :P

Ana disse...

Peraí, Cláudio Vasconcelos! Bêbados, de vez em quando, até que vai, mas imundos??? Nunca!

CAITIF disse...

Acho que você ficou nervosa à toa... tstststst

Ana disse...

Culpa da coca-cola ;)!

Daemon disse...

zwinglios.