1 de set de 2006

Poema Elemental #2

Quando as meninas chegaram à plataforma, se deram conta de que estavam, na verdade, em uma câmara circular. As paredes tinham inscrições, mas ali estava um breu total.

- Um pouco de luz aqui - disse a fadinha Abrieht, fazendo um movimento com as mãos. Um minúsculo ponto de luz surgiu em suas flechas-palito.

Hezeltine levantou a sobrancelha.

- Hmmm... Isso não me é estranho - disse.

- Eu também já vi isso antes em algum lugar - concordou a pequena Katrina.

O esforço da lembrança das três foi subitamente interrompido por um murmúrio fraco, como vozes vindas de muito longe. Ao que parecia, do outro lado da câmara.

Foram na direção que julgavam ser a mais retilínea possível. À medida que se aproximavam, as vozes ficavam mais claras - e familiares também.

- John! Bardo! Kranus! Como chegaram aqui?

- Nós é que perguntamos - disse o Bardo. - Viemos por dentro da montanha, depois que todo mundo ficou cego e as cordas que usamos pra nos amarrarmos uns aos outros se partiu misteriosamente. Mas vocês chegaram pelo outro lado!

John, como um bom anão, resmungou.

- Isto está muito chato. Preciso beber um pouco.

- Bem, depois - a pequena fada ansiava por contar das inscrições na parede. - Gente, nós achamos lá do outro lado umas inscr...

Interrompeu-se ao ver que, deste lado, de onde acabavam de chegar Iluvatar e Vujak, também havia inscrições.

- Ah, oi galera - disse o ranger.

- Agora que estão todos aqui - prosseguiu Kranus -, dois dos quatro pergaminhos estão reproduzidos nas paredes. Só que, aqui, temos dicas. Veja ali em cima.

Havia uma espécie de título, que dizia "Mu Sonem".

O Bardo parecia ter decifrado a charada.

- Mu Sonem... Mu Sonem... Espere!

- Sim - concordou Kranus. - "Mu Sonem" é "Menos Um" ao contrário.

- Então... Então se pegarmos a letra anterior e invertermos o que está escrito, teremos decifrado o poema? - perguntou Katrina.

- Exato - falou Bardo. E recitou.

One can hold
this scroll of power
and possess the strength
of the winter flower,

for its name is set
to unleash the cold,
and the secrets of balance
shall be unfold.

If the enemy dares
to break the snow,
his spirit will flee
from the very timeflow.


- Odeio poesia - disse John.

2 comentários:

Mila disse...

:D

Adoro saber o seu próximo post antes de você postar.

:D

Küsse!

Rae disse...

Ai, e aí, o que aconteceu??