4 de ago de 2005

Ursos, borboletas e vaga-lumes

Como surgiu o abraço? Porque o abraço é assim? Discorri sobre o assunto comigo mesmo no caminho pro trabalho, após receber um abraço da uma amiga minha, que encontrei por acaso no ponto de ônibus.

Descobri que o abraço pode ter surgido quando alguém pensou que outrem era muito importante, e que queria sempre estar a seu lado, e então o "segurou" pra que nunca mais ele fosse embora dali.

Ou então, misturado a esse primeiro conceito, veio a vontade de traduzir para o mundo físico a proximidade que sentíamos no mundo emocional. Sim, meu coração está próximo ao seu, quase tocando um no outro, minha alma está em ressonância com a sua (vide artigo anterior) e eu quero trazer isso para o mundo dos cinco sentidos comuns.

Sim, o abraço é um gesto que dá pra entender por que ele é assim. E não um gesto de carinho que poderia ser mostrar a língua pulando num pé só.

Mas então, fiquei intrigado com outra coisa: o beijo. O beijo é um gesto estranho. Estranho no que diz respeito à sua origem. O que pode ter acontecido pra que alguém toque seus lábios no rosto de outra pessoa? Um beijo na boca, o famoso "choquinho", se explica pela vontade das pessoas de se beijarem ao mesmo tempo; mas e o beijo por si só?

Pior que isso, é o beijo de língua. Será que isso pode ser realmente chamado de beijo? Sim, porque esse aí é mais maluco ainda. Que é bom, é indiscutível. Vi uma frase uma vez, relacionada a sexo, mas que serve pra beijos também.

"Sexo é tão bom, tão bom, que mesmo quando é ruim é bom."


Porém, se pensarmos na origem, no sentido da coisa... Ficar passando uma língua na outra é um gesto de intimidade? Ou tá mais pra sexo do que pra sentimento? E se for isso, porque está mais pra sexo?

Deixo aos leitores o exercício de relacionar o título deste artigo ao assunto dele.

5 comentários:

rocks disse...

Hum...
abraço de urso, beijo de borboleta e sexo de vaga-lume?

Gude disse...

Bateu na trave. Só errou o último...

rocks disse...

er...
língua de vaga-lume?

Gude disse...

É, quase isso. É beijo de língua de vaga-lume.

Não me pergunte, foi o bicho que mais me pareceu ter a ver... :P~

Daemon disse...

Eu já parei pra pensar em coisas desse tipo, tb...
Pra variar, nenhuma conclusão! :)