28 de ago de 2005

A Lei da Dinâmica dos Ônibus

Fim de expediente, vamos pro ponto esperar ônibus pra voltar pra casa (sim, eu ando de ônibus). Entro e acho um lugar vazio pra sentar. Então mergulho nos meus pensamentos, mas a cada parada nos pontos me interrompo pra poder observar os novos passageiros.

À medida que o ônibus vai se enchendo, vão acabando os lugares vazios, e foi aí que me deparei com a triste conclusão: o lugar vazio ao meu lado é sempre o último a ser ocupado.

Então pensei que as pessoas possuem uma espécie de inconsciente coletivo.

Digo isso porque costumo usar o ônibus como uma espécie de divã, onde eu analiso a mim mesmo. Longe das preocupações do trânsito. Faz a viagem parecer muito mais rápida -- e divertida.

Portanto, quando estou sentado e pensando, minha cabeça está a mil, num turbilhão de pensamentos -- às vezes sentimentos -- e isso afasta as pessoas, mesmo sem que elas saibam porque.

Ou talvez é só porque eu sou barbudo mesmo.

9 comentários:

rocks disse...

e feio também!

Daemon disse...

E tem cara de bocó!

Gude disse...

Posso ser barbudo, feio e ter cara de bocó, mas sou gente fina. :)

Daemon disse...

Mais ou menos... hehehehe

Babi disse...

Hahaha
Eu sempre torço pra não sentar ninguém do me lado, mas não tem jeito, o lugar do me lado é sempre um dos primeiros a se ocuparem.
Mas eu sentaria do seu lado.

Gude disse...

Babs, querida. Obrigado pela consideração. Diferente de certos Pedros por aí. :) hehe

Ana disse...

Gude, pois fique sabendo que vc tá é com sorte!
Eu adoro ficar de óculos escuros dentro do ônibus só pra xeretar as pessoas tranquilamente. Mas sempre vem um Zé e senta perto, me tirando toda a espontaneidade.

Mas vc é bacana, eu tb sentaria do seu lado.

rocks disse...

é, se a outra opção for ficar em pé, eu até sentaria do seu lado também.

Celso Luiz (MUZA) disse...

Gude, Qualé filho!

Ow ! Sempre acontece isso comigo também!!! Pensei que eu fosse o único!!! Que estivesse criando uma incrível bolha antisocial em torno de mim !!! Isso explicaria MUITA coisa! Mas agora vou analisar a sua versão do instinto das pessoas se manterem afastadas de bombas mentais ambulantes! Um abração!