30 de nov de 2005

Três meia cinco (meia a cada quatro)

Hoje é dia de acordar com o sol.
Dar "bom dia" pra ele,
Vê-lo sorrindo na sua face,
Amarelando os dentes e os olhos.

Hoje é dia de cortar a grama.
Dia de colher as uvas e tomates.
De tirar o leite das cabras,
de fazer manteiga e coalhada.

Hoje é dia de tomar café quentinho.
Dia de sorrir ao ver os filhos.
De conversar animado na mesa,
Pra espantar o mau-humor da manhã.

Hoje é dia de arar a terra.
Dia de preparar as sementes,
Escolhendo os grãos a dedo.
Cada grãozinho uma esperança.

Hoje é dia de lucrar, de investir.
Dia de sentar e fazer as contas:
"Quanto gastei com isso e aquilo"?
Dia de confirmações e decisões.

Hoje é dia de quermesse na vila.
Dia do vestido de cetim da filha,
Pra impressionar o rapazinho.
Dia de redescobrir o tempo.

Hoje, o dia de ano é hoje
Amanhã! Amanhã já se terá passado
Mais uma das voltas do mundo...
E o ontem vai, finalmente, ser ontem.


8 comentários:

rocks disse...

O tempo paaassaa, o tempo voooaaa...
e a poupança Bamerindos continua numa boaaaaa...
É a poupança Bameriiiindooos-dos-dos-dos!!!

Gude disse...

Eita! :)

Por onde andará aquele gordão careca barbudo de óculos? :)

Heide disse...

Enquanto seu dia foi de sorrir para o seu, de colher uvas, e tirar leite das vacas, o meu vai ser de muitos pensamentos, desespero... insônia... quero que amanhã termine.

Beijinhos

Gude disse...

Heide, moça... É um desejo de que todos os dias sejam como esse. Porque às vezes o amanhã se junta com o ontem pra brigar com o hoje. Mas a gente briga de volta! :)

hjkhjk disse...

E no fim das contas tudo vira do avesso e quando vc menos percebe, la está vc novamente, tomando sucrilhos de café-da-manhã...

rocks disse...

Os dias passam, mas nada muda.
No news is good news...

Ana disse...

sucrilhos? eu li sucrilhos?

Ai, que fome!

(poema bacana, mocinho!)

Juliana disse...

oi Gude, lembra de mim? Vi o link do seu blog no orkut. Estou adorando ler seus posts. Tenho um blog também depois vc passa lá.