16 de fev de 2010

O Caixeiro Viajante - Parte 3/4: Dia 11

O caixeiro mal dormiu de ansiedade. Ao nascer do sol, caminhou em direção ao castelo, sem olhá-lo diretamente. Por alguma razão, as portas já se encontravam abertas... O caixeiro entrou, e viu exatamente o que viu no seu suposto sonho. As mesmas paredes celestes, o mesmo grande portão com as quatro faixas paralelas. Quis entrar, mas algo o fez esperar. Então, com uma voz tímida, ele disse "Kerub!"... Um eco prolongadíssimo de sua voz rebateu nas paredes do Castelo Celeste. Depois disso, um silêncio sepulcral. O caixeiro esperou... E o portão lentamente se abriu. Parecia estar escuro lá dentro... Um figura surgiu do portão. Era Ariel. O anil de sua roupa inundou o coração do caixeiro, que parecia ver Ariel mas sentir Kerub. Novamente, o anil de Ariel parecia vermelho por vezes... E ali ele ficou. Olhando Ariel e Ariel o olhando... Por alguns minutos.

Nenhum comentário: