16 de fev de 2010

O Caixeiro Viajante - Parte 3/4: Dia 14

Com a chegada da poderosa jovem de pele azul, o caixeiro recuperou a confiança. Levantou-se e, apoiado pelo leve toque das belas mãos da jovem, adentrou-se à escuridão que parecia impregnar o interior do salão atrás do portão... Porém, ao entrar, o caixeiro se viu no lugar mais lindo de toda a sua vida. O lugar parecia ao ar livre, apesar do caixeiro saber que ali era o interior do Castelo Celeste... A mulher, então, o conduziu até aquele corredor - o que possuía um cisne vermelho acima de sua entrada. Ela parou, olhou com uma ternura sublime para o caixeiro, e entrou. O caixeiro podia ver, na outra ponta do corredor, uma silhueta. Sabia que era Tharsis. A intensidade daquele momento o fez querer seguir a jovem de pele azul. Então, ele entrou! E foi tomado por uma luz vermelha, tênue... A jovem que seguia havia desaparecido... Já no meio do corredor, viu uma figura se aproximar... E, à medida que ela se aproximava, seu coração batia mais forte... A intensidade subia sua adrenalina, era um momento de puro sentimento... A jovem se aproximou e disse: "Feche os olhos..." E ele se sentiu tocado na face... E cada toque da mulher - que era a mesma jovem de pele azul, mas envolta numa luz vermelha - parecia entrar dentro de todo o seu corpo... Sem abrir os olhos, o caixeiro se aproximou da jovem... E a beijou.

Nenhum comentário: